Arquivo mensal abril 2015

poradmin

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DO SINDIFATO

EDITAL DE CONVOCAÇÃO – ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA – SINDICATO DOS FARMACÊUTICOS DO ESTADO DO TOCANTINS – SINDIFATO. A Presidente do Sindicato, em uso das suas atribuições, convoca todos os farmacêuticos e farmacêuticos bioquímicos servidores públicos do Estado do Tocantins, para participarem da Assembleia Geral Extraordinária a ser realizada em 08 de abril de 2015, na sede do Sindicato dos Farmacêuticos do Tocantins, na Quadra 404 Sul, Avenida LO 11, lote 4, sala 8 em Palmas/TO, às 15 horas, em primeira convocação, para tratarem da seguinte ordem do dia: a) Leitura do edital convocatório; b) Deliberar sobre as propostas apresentadas pelo governo em relação ao pagamento das progressões, insalubridade e adicional noturno. c) Autorizar para que a diretoria do Sindifato possa firmar acordo administrativo;. Não havendo número legal de presentes na primeira convocação, a segunda se realizará 30 minutos após, já com qualquer número de presentes. As deliberações tomadas nesta Assembleia prevalecerão para todos os fins de direito e a ela se vinculam os trabalhadores sindicalizados ou não à entidade convocante. Palmas/TO, 06 de abril de 2015. Léia Ayres Cavalcante – Presidente.

poradmin

Governo sinaliza com contra proposta

Por meio de ofício circular (veja imagem) enviado aos cinco sindicatos da área da saúde, o Governo do Tocantins, sinaliza uma proposta que será apreciada em separado por cada entidade e suas respectivas assembleias gerias.

Em relação aos valores dos retroativos de adicional noturno, insalubridade e dos retroativos de progressões funcionais, seguem as propostas:

1) Implemento, em janeiro de 2016, das progressões concedidas até 2014, decorrentes de planos de cargos, carreiras e remuneração implantados em leis antes ao período de vedação previsto em lei:

2) Pagamento, a partir de maio de 2014, dos retroativos de adicional noturno, insalubridade e progressões em até 6 parcelas para quem tem saldo a receber até 4 salários mínimos sendo:

a) 1 salário mínimo em 1 parcela;
b) 2 salários mínimos em 2 parcelas;
c) 3 salários mínimos em 4 parcelas;
d) 4 salários mínimos em 6 parcelas; e
e) para quem tem saldo a receber a partir de 5 salários mínimos, pagamento será realizado em 10 parcelas.

4) Retroativo da insalubridade a partir de setembro para aqueles com saldo igual o superior a 5 salários mínimos.

5) Passivos de 2015 será negociado a partir de janeiro de 2016.

6) A secretaria de Administração se compromete a promover agenda, no mês de abril, junto Banco do Brasil, para dialogar e tentar negociar aceca dos valores antecipados aos servidores resultantes de Convênio firmado em 2014, com participação das entidades sindicais representativas.

7) Não haverá implicação administrativa para aqueles servidores em relação a paralisação realizada entre os dias 30 e 31 de março de 2015, com exceção daqueles casos apurados pela secretaria de Saúde que não sejam incluídos na norma vigente que regulamenta o movimento paredista

Assinado pelo Secretário Geferson Oliveira barros Filho – Secretário da Administração

Da redação

proposta governo

poradmin

Governo do Estado acrescenta progressões na proposta aos servidores da saúde

O secretário de Administração, Geferson Barros, apresentou nova proposta às entidades representantes dos servidores da saúde na manhã desta quarta-feira, 1º. O governo do Estado incluiu na negociação as progressões concedidas até 2014 por Leis anteriores ao período vedado pela Legislação Eleitoral. A efetivação do benefício será em janeiro de 2016.

De acordo com a nova proposta, os retroativos de adicional noturno, insalubridade e progressões serão pagos em até 10 parcelas a partir de maio deste ano [veja a tabela abaixo]. Para os servidores com saldo igual ou superior a cinco salários mínimos, o retroativo da insalubridade será pago a partir de setembro. Os passivos de 2015 serão negociados a partir de janeiro de 2016.

Paralisação
O governo do Estado afirmou que não haverá implicação administrativa para servidores que participaram das paralisações realizadas na segunda-feira, 30, e terça-feira, 31. Entretanto, a pasta aponta exceção para os casos apurados pela Secretaria da Saúde que não sejam inclusos na norma vigente que regulamenta o movimento paredista.

Bancos
A Secretaria da Administração assumiu o compromisso com as entidades de promover agenda, em abril, junto ao Banco do Brasil, para dialogar e tentar negociar os valores antecipados aos servidores, resultante de convênio firmado em 2014, com participação das entidades sindicais representativas.

Sindicatos
As entidades representantes dos servidores da saúde devem analisar a proposta durante esta semana. O Sindicato dos Profissionais de Enfermagem do Tocantins (Seet) já anunciou que será realizada assembleia por todo o Estado nesta quarta-feira, 1º, às 18 horas para deliberar sobre a nova posição do governo.

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde (Sintras) também avalia proposta do governo em assembleia às 18 horas desta quarta-feira. “O governo não queria incluir as progressões no acordo deixando para discussão posterior, mas a diretoria do Sintras foi incisiva em negociar apenas com as progressões em pauta. E conseguimos”, disse o presidente da entidade, Manoel Miranda.

O presidente do Sindicato dos Cirurgiões Dentistas do Tocantins (Sicideto), Ricardo Camolesi, informou que a assembleia da entidade será realizada nesta quinta-feira, 2, às 8 horas da manhã. O líder sindical afirmou ao CT que a proposta do governo “confirmou o otimismo” da classe. “Dentro da situação atual do governo foi uma proposta razoável, a tendência será aceitar. Após as negociações chegamos ao denominador comum entre os sindicatos e o governo”, avaliou.

A assembleia do Sindicato dos Farmaceuticos do Tocantins (Sindifato) está prevista para acontecer somente na quarta-feira, 8. A presidente da entidade, Leia Ayres, avaliou que o governo “progrediu bastante”. “A maior reivindicação era ter pelo menos uma previsão da implementação das progressões, o que tivemos nesta proposta. Os outros itens já tinham sido discutidos, só fizemos ajuste de tempo e de quantidade de parcelas”, afirmou. Leia mais