Arquivo mensal agosto 2017

poradmin

Com percentual acima do dobro da inflação, farmacêuticos conquistam 7% de reajuste, retroativos e mantêm jornada de trabalho em hospitais

Audiência no Ministério do Trabalho: índice obtido de reajuste é mais do que o dobro da inflação registrada nos últimos 12 meses

Audiência no Ministério do Trabalho: índice obtido de reajuste é mais do que o dobro da inflação registrada nos últimos 12 meses

Com a mediação do Ministério do Trabalho, o Sindfato (Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Tocantins) e o Sindessto (Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde Privados do Tocantins) fecharam, na manhã desta segunda-feira, 28 de agosto, um acordo sobre a data-base para os cerca de 180 farmacêuticos que trabalham nos 180 hospitais e estabelecimentos de saúde. Pelo acordo, o reajuste salarial será de 7%, mais do que o dobro da inflação registrada nos últimos 12 meses, e jornada de trabalho segue de 13 plantões de 12 horas ou 6 horas diárias.

Além disso, como percentual de reajuste deveria ter sido dado em novembro, os hospitais vão pagar, em quatro parcelas, o retroativo desta data-base. “O acordo acabou sendo muito positivo, pois mantivemos a nossa jornada de trabalho, temos percentual bem acima da inflação de reajuste e receberemos os retroativos”, destacou o presidente do sindicato, Pedro Henrique Goulart Machado Rocha.

A primeira parcela do retroativo será paga já em setembro deste ano e, a última, em dezembro.

Inicialmente, os hospitais queriam ampliar a jornada de trabalho para 15 plantões por mês, o que elevaria a carga horária de 156 horas mensais para 180 horas. “Isso nós não tínhamos como aceitar”, destacou o secretário-geral do Sindifato, Renato Soares Pires Melo. Outra proposta dos representantes patronais era um reajuste salarial menor, de 6%.

A reunião desta segunda-feira foi a segunda tentativa de acordo entre os farmacêuticos e os hospitais e laboratórios. Isso porque na reunião marcada no último dia 18 o Sindicato dos Hospitais não compareceu.

A audiência só foi possível graças a solicitação do Sindifato, que contou com a participação dos farmacêuticos Tássio Fontes Moreira Câmara, Isabella Afonso Gomes de Araújo e do advogado Denis Rodrigo Ghisleni. “É importante ressaltar a colaboração da classe farmacêutica nessa luta, participação nas assembléias de negociação como fizeram os colegas neste dia. Só assim, com a união e colaboração de todos, iremos obter mais conquistas”, disse o presidente.

Benefícios

Com a reposição de 7%, o piso dos farmacêuticos que trabalham em hospitais, laboratórios e clínicas de saúde sobe para R$ 3.488,51. Além disso, sé mantido o adicional de responsabilidade de 10% do salário para os profissionais chefes de farmácias nos estabelecimento hospitalar, o acréscimo de 3% com incorporação salarial para cada três anos trabalhados e a hora-extra em 75%.

poradmin

Após sindicato patronal faltar, Sindifato convoca farmacêuticos para nova audiência no Ministério do Trabalho em Palmas

Agência Brasil

Solicitada pelo sindicato dos trabalhadores, audiência de mediação no MTE será feita para formalização da convenção coletiva dos farmacêuticos do Tocantins

Está marcada para as 8h30 desta segunda-feira, 28, no Ministério do Trabalho e Emprego de Palmas nova audiência de mediação para formalização da convenção coletiva dos farmacêuticos do Tocantins.

Essa será a segunda tentativa de acordo entre os farmacêuticos e os hospitais e laboratórios. Isso porque na reunião marcada no último dia 18 o Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Tocantins (Sindessto) não compareceu.

“Infelizmente, a categoria ficou frustrada no último dia 18 com a ausência dos representantes da classe patronal. Desta vez, esperamos que a audiência marcada pelo ministério seja respeitada, bem como a categoria num todo”, afirmou o presidente do Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Tocantins (Sindifato), Pedro Henrique Goulart Machado Rocha.

A audiência foi possível graças a solicitação do Sindifato. “O apoio e a presença dos farmacêuticos são fundamentais para a categoria, em especial aos que trabalham no setor hospitalar e laboratorial. É primordial para comprovarmos a força de nossa categoria na luta, que é de todos, para não perdermos direitos”, conclamou o presidente do sindicato da categoria.

REIVINDICAÇÃO DOS FARMACÊUTICOS

O Sindifato reivindica reajuste de 9,1% aos farmacêuticos e farmacêuticos bioquímicos, índice que levaria o piso salarial para R$ 3.560,00. A proposta de ticket alimentação é de R$ 16,38 aos trabalhadores que têm jornada especial de 12×36 ou seis horas diárias, com intervalo de uma hora para refeição. Já, quem está submetido a jornada de seis horas diárias fica assegurado: Limite de 30 horas semanal; mínimo de uma hora e no máximo de duas horas diárias de intervalo para alimentação [almoço ou jantar] ou descanso; e quinze minutos de intervalo diários para lanche.

Já a contraproposta do Sindessto prevê reajuste de 7% de aumento de 13 para 15 plantões. “Os farmacêuticos não aceitaram e solicitamos a mediação do Ministério do Trabalho”, declarou o presidente do Sindifato.

Serviço – A reunião será na sede do Ministério do Trabalho e Emprego de Palmas, na quadra 302 Norte, avenida NS 2 – ao lado do Fórum Trabalhista.

poradmin

Sindifato convoca farmacêuticos para discussão da convenção coletiva no Ministério do Trabalho em Palmas

O Ministério do Trabalho marcou para o próximo dia 18, às 8h30, em Palmas, audiência de mediação para formalização da convenção coletiva dos farmacêuticos do Tocantins. A audiência atende pedido do Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Tocantins (Sindifato).

O presidente do sindicato, Pedro Henrique Goulart Machado Rocha, deu início a mobilização para participação maciça dos farmacêuticos na reunião. “Precisamos do apoio e da presença dos profissionais, em especial aos que trabalham no setor hospitalar e laboratorial, para comprovarmos que somos uma categoria forte, concisa e que estamos dispostos a negociação desde que não percamos nossos direitos adquiridos e que as propostas fiquem dentro da razoabilidade”, ressaltou.

O Sindifato propôs reajuste de 9,1% aos farmacêuticos e farmacêuticos bioquímicos, índice que levaria o piso salarial para R$ 3.560,00. A proposta de ticket alimentação é de R$ 16,38 aos trabalhadores que têm jornada especial de 12×36 ou seis horas diárias, com intervalo de uma hora para refeição. “Para os empregados que estiverem submetidos à jornada de seis horas diárias fica assegurado: Limite de 30 horas semanal; mínimo de uma hora e no máximo de duas horas diárias de intervalo para alimentação [almoço ou jantar] ou descanso; e quinze minutos de intervalo diários para lanche”, aponta ofício protocolado.

Já o Sindessto apresentou, como contraproposta, reajuste de 7% de aumento de 13 para 15 plantões. “Esse percentual não foi aceito pelos farmacêuticos. Diante disso o Sindessto falou que não negociaria caso não aceitássemos os 15 plantões e, por isso, solicitamos a mediação do MTE”, afirmou o presidente do Sindicato.

Serviço – A reunião será no próximo dia 18, a partir das 8h30, na sede do Ministério do Trabalho e Emprego de Palmas, na quadra 302 Norte, avenida NS 2 – ao lado do Fórum Trabalhista.

poradmin

ATUAÇÃO NO INTERIOR – ARAGUAÍNA – Sindifato, em parceria com ICTQ, promove curso, explica convênio e detalha acordo com farmácias

O presidente do Sindifato (Sindicato dos Farmacêuticos do Tocantins), Pedro Henrique Goulart Machado Rocha, participou, nesta segunda-feira, 7 de agosto, em Araguaína, no auditório da Subseção da OAB, do curso Cuidados e Serviços Clínicos Farmacêuticos em Hipertensão e Diabetes, ministrado pelo ICTQ (Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade), parceiro do sindicato.

Professor Adriane de Andrade e interprete durante curso aos farmacêuticos

O curso teve 95 participantes, quase todos eles farmacêuticos da cidade. No evento, Pedro Henrique detalhou o convênio com ICTQ, que disponibiliza descontos a todos os filiados no sindicato. Na ocasião, o presidente também explicou o acordo coletivo com o Sindifarma (Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado do Tocantins), que propiciou reajuste acima da inflação nos salários, nas horas extras e no vale alimentação aos cerca de 1.100 farmacêuticos que trabalham nas 800 farmácias do Estado. Agora, o novo piso salarial dos farmacêuticos é de R$ 3.890.

Por fim, o Sindifato e o ICTQ promoveram o sorteio de uma bolsa de 50% no Curso de Especialização em Farmácia Clínica e Prescrição Farmacêutica. O vencedor foi o farmacêutico João Carlos Muniz Vilela, filiado ao Sindifato.

Farmacêuticos em curso em Araguaína

poradmin

FARMÁCIAS – Com reajuste acima da inflação, piso salarial dos farmacêuticos sobe para R$ 3.890

O piso salarial dos cerca de 1.100 farmacêuticos que trabalham nas mais de 800 farmácias do Estado subiu de R$ 3.750 para R$ 3.890, em um aumento de 3,75%, bem acima da inflação dos últimos 12 meses, que ficou em 2,56%. O reajuste salarial foi resultado do acordo de Convenção Coletiva do Trabalho entre o Sindifato (Sindicato dos Farmacêuticos do Tocantins) e o Sindifarma (Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado do Tocantins), durante reunião para discutir a CCT (Convenção Coletiva do Trabalho) na quarta-feira, 2 de agosto, em Gurupi.

A reunião contou com as presenças do presidente do Sindifato, Pedro Henrique Goulart Machado Rocha, do presidente do Sindifarma, Domingos Tavares Souza, e outros representantes das duas categorias. “Em um ano de inflação baixa, conquistamos um reajuste acima do que estava previsto, com um ganho real de 1,19 ponto percentual”, destacou Pedro Henrique, ao salientar que o acordo fechado vai possibilitar que, no início de setembro, os farmacêuticos do Estado já recebam seus salários reajustados. “Teremos a aplicação do índice em setembro, como previsto na nossa CCT”, comemorou o presidente.

Além disso, o secretário-geral do Sindifato, Renato Soares Pires Melo, lembra que o percentual de 3,75% é estendido ao vale alimentação e ao plantão paga aos farmacêuticos. “Conquistamos um reajuste acima da inflação no salário, no vale alimentação e nos plantões. O Sindifato atuou para conquistar um bom acordo para os colegas”, ressaltou Renato Melo.

poradmin

Sindifato e farmácias começam a debater convenção coletiva nesta quarta, 2 de agosto, em Gurupi

O Sindifato (Sindicato dos Farmacêuticos do Tocantins) e os proprietários de farmácia iniciam, nesta quarta-feira, 2 de agosto, às 15 horas, no Sesc, em Gurupi, o debate sobre a Convenção Coletiva do Trabalho, com aplicação da data-base. A questão envolve cerca de 800 farmácias no Estado que empregam em torno de 1.100 farmacêuticos.

Os farmacêuticos de Gurupi e região estão convidados a participar. Por lei, eles são liberados do trabalho no dia da discussão do acordo coletivo.

Conforme já aprovado em assembleias extraordinárias da categoria realizadas em Palmas, Araguaína e Gurupi, o Sindifato vai propor, na discussão da CCT (Convenção Coletiva do Trabalho), a redução de jornada de trabalho de 40 horas para 30 horas semanais. Caso aceita pelos representantes das farmácias do Estado, a categoria vai abrir mão de qualquer reposição de data-base neste ano. “Construímos essa proposta sabendo da crise e com ela estamos buscando uma alternativa que atenda a todos os colegas e que seja possível para os empresários cumprirem”, ressaltou o presidente do sindicato, Pedro Henrique Goulart Machado Rocha.

A negociação ocorre nos últimos suspiros da atual legislação trabalhista, que passará a ser modificada partir de agosto. O piso salarial dos farmacêuticos é de R$ 3.750.