Arquivo mensal março 2018

poradmin

Sindifato elogia disposição do CRC para resolver problema localizado de tentativa de desconto ilegal contribuição sindical por parte da Feconeste

O presidente do Sindifato (Sindicato dos Farmacêuticos do Tocantins), Pedro Henrique Goulart Machado Rocha elogiou, nesta sexta-feira, 23 de março, o presidente do CRC (Conselho Regional de Contabilidade), Norton Thomazi, pela disposição da entidade para resolver um problema de desconto ilegal de contribuição sindical praticado pela Feconeste (Federação dos Empregados no Comércio de Bens e de Serviços do Norte e do Nordeste).

Conforme o Sindifato divulgou no inicio desta semana, alguns farmacêuticos receberam termos de opção já preenchidos em nome da Feconeste, entidade sem qualquer atuação no Tocantins e que não representa a categoria no Tocantins. Os termos foram entregues por alguns poucos escritórios de contabilidade que prestam serviços a farmácias, drogarias e outras empresas.

“O presidente Norton entrou em contato conosco. O problema é localizado, são poucos escritórios que estão fazendo isso. Felizmente, o Tocantins e Palmas contam com uma massa qualificada e competente de contadores e, por que alguns poucos fazem coisa errada, não podemos condenar toda a categoria”, frisou Pedro Henrique.

No contato com o presidente do Sindifato, Thomazi ressaltou que está a disposição para ajudar e que o CRC vai apurar as eventuais faltas éticas que tenham sido cometidas por filiados.

poradmin

Farmacêuticos alertam para conluio em ‘roubo de contribuição sindical’ de escritórios de contabilidade com a Feconeste

Entidade, que não representa categoria no Estado e não tem qualquer atuação no Tocantins, está fornecendo termos de opção preenchidos

O Sindifato (Sindicato dos Farmacêuticos do Tocantins) alerta a todos os profissionais da categoria no Estado para o conluio de distribuição de termos de opção para desconto de contribuição sindical preenchidos nas farmácias, drogarias e estabelecimentos de saúde do Tocantins.

Os termos de opção são em favor da Feconeste (Federação dos Empregados no Comércio de Bens e de Serviços do Norte e do Nordeste), entidade sem qualquer atuação no Tocantins e que não representa os farmacêuticos do Tocantins. O Sindifato destaca, ainda, que o fato dos termos de opção estarem sendo distribuídos pelos próprios escritórios de contabilidade que prestam serviço às empresas surpreende.

“Diante dos fatos, o Sindifato alerta aos farmacêuticos que a contribuição sindical deixou de ser obrigatória, portanto deverá ter o seu desconto autorizado pelo profissional. E que ao efetuar qualquer pagamento ou autorização de desconto, verifique para qual entidade está sendo direcionado o valor”, salienta o presidente do Sindifato, Pedro Henrique Goulart Machado Rocha.

O líder sindical destaca, também, que no Estado quem tem a prerrogativa de pedir a contribuição sindical dos farmacêuticos é o Sindifato e, mesmo assim, a solicitação está sendo feita de maneira individual, para que não haja dúvidas da atuação da entidade. “O que está acontecendo é muito grave. Além de uma entidade buscar dinheiro que não é seu, entrega fichas preenchidas, tentando enganar os nossos colegas”, ressalta Pedro Henrique.

Pedro Henrique afirma que o Sindifato já está levantando os escritórios de contabilidade que vêm adotando tal prática para relatar os fatos, com provas, ao CRC-TO (Conselho Regional de Contabilidade), presidido por Norton Thomazi. “Temos certeza que o presidente recém-empossado não concorda com esse tipo de procedimento”, frisa.

Por fim, o Sindifato orienta os farmacêuticos que, em caso de dúvida, recebimento de termo de opção, de autorização ou mesmo as guias de contribuição sindical, entre em contato com o Sindicato pelo e-mail: contato@sindifato.org.br, com a cópia do documento enviado.

“O Sindifato prima pela transparência e tem o dever de alertar sobre possíveis golpes aplicados aos trabalhadores”, finaliza Pedro Henrique.