Arquivo mensal maio 2018

poradmin

Sindifato orienta farmacêuticos a requerer progressões salariais

O Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Tocantins (Sindifato) orienta os farmacêuticos concursados da rede estadual, que ainda não fizeram seu requerimento para o pagamento das progressões atrasadas, que o façam o quanto antes, uma vez que o prazo prescreve em cinco anos.

Aqueles que tiverem interesse, deverão encaminhar e-mail para contato@sindifato.org.br para receber as orientações e procedimentos necessários para o requerimento das progressões.

“Em dezembro de 2017, o Sindifato iniciou uma campanha para cobrar do governo do Estado do Tocantins, o pagamento dessas progressões em atraso. Atualmente existem pouco mais de 350 farmacêuticos servidores públicos do Estado. Muitos, não receberam os efeitos financeiros referentes às progressões salariais dos anos anteriores”, explica o presidente do Sindifato, Pedro Henrique Goulart.

De acordo com o presidente, até o momento pouco mais de 50 farmacêuticos fizeram requerimento. “O efeito financeiro referente às progressões em atraso reflete nas férias e décimo terceiro, adicional de insalubridade e adicional noturno também”, lembra.

Fonte: Sindifato

poradmin

Medida Provisória assegura que pagamento da primeira parcela da data-base 2017 será feito em junho

Sindifato orienta farmacêuticos a relatar qualquer divergência

A primeira parcela da data-base 2017 dos farmacêuticos da rede estadual de saúde deverá ser paga até o dia 8 de junho, data provável de pagamento da segunda remessa da folha de de maio. Dessa forma, o Governo cumpre o que ficou acordado com os sindicatos que representam os servidores estaduais.

“O Governo do Estado tem priorizado os pagamentos aos servidores que recebem salários em torno de R$ 2.600,00, já nos primeiros dias do mês. Por isso, acreditamos que os Farmacêuticos recebam seus pagamentos até o dia 8 de junho, na segunda remessa da folha de pagamento”, destaca o presidente do Sindicato dos Farmacêuticos do Tocantins (Sindifato), Pedro Henrique Goulart.

O presidente lembra que após diversas propostas chegou-se ao seguinte resultado: parcelamento da data-base de 2017, com índice de 3,98703%, a ser pago em três vezes: sendo, 1,32901% na folha de maio deste ano; 1,32901% a partir de julho de 2018, finalizando com a implantação de 1,27717% em setembro. O parcelamento foi discriminado na Medida Provisória nº 2, publicada dia 18 de maio. Já a Medida Provisória nº 3 trata da data-base 2018 com índice de 1,69104% que será implementada na folha de novembro, em parcela única, que será paga em dezembro.

“O Sindifato alerta aos farmacêuticos servidores do Estado do Tocantins que verifiquem, em seus contracheques, se o pagamento do adicional foi depositado junto com o salário do mês. Em havendo divergência, entrar em contato pelo e-mail contato@sindicato.org.br com a cópia do contracheque, para as providências cabíveis”, orienta o secretário-geral do Sindifato, Renato Melo.

poradmin

Farmacêuticos notificam Hospital de Araguaína sobre realização de teste rápido

O Sindifato (Sindicato dos Farmacêuticos do Tocantins) notificou o secretario estadual da Saúde, Renato Jayme, sobre uma determinação da direção do HRA (Hospital Regional de Araguaína) que tenta obrigar os farmacêuticos daquela unidade a realizarem os testes rápidos (exames para detectar HIV, hepatite, sífilis e outras doenças) em pacientes. A determinação foi repassada pelo diretor-clínico daquela unidade, Luiz Fernando D’Albuquerque e Castro.

Segundo o diretor, os farmacêuticos devem realizar os testes rápidos, sempre que solicitado pelo plantonista. “Além de ser uma determinação improcedente, não tem legitimidade, visto que a Farmácia do HRA se encontra sem coordenador e o novo serviço não foi deliberado com os farmacêuticos. Essa imposição não se sustenta, tendo em vista que o governo não regulamentou o adicional de insalubridade dos farmacêuticos para a realização do referido exame”, ressaltou o secretário-geral do Sindifato, Renato Soares Pires Melo.

O Sindifato explica, ainda, que durante os plantões os farmacêuticos devem atender todas as farmácias satélites da unidade hospitalar, o que é inviável, pois o exame, apesar do nome, não é tão rápido. “Com certeza, essa obrigatoriedade causaria conflitos e falhas graves no atendimento”, ressaltou o secretário do Sindifato.

A notificação do sindicato ao secretário estadual foi entregue na terça-feira, 22 de maio. Até agora, não houve resposta do governo.

A orientação do Sindicato dos Farmacêuticos aos profissionais é que não realizem os testes rápidos, até a regulamentação do adicional de insalubridade pela Secretaria de Estado da Saúde. “E mesmo após eventual regulamentação, isso tem que ser deliberado pelos profissionais e a direção da unidade, destacando os profissionais disponíveis para realizar os exames, o local adequado e as escalas para que ninguém fique sobrecarregado com o acumulo de funções”, frisou o líder sindical.

poradmin

Sindifato oficia Estado e Hospital Regional de Paraíso contra jornada de trabalho ilegal

Local inapropriado dos plantões em Paraíso

O Sindifato (Sindicato dos Farmacêuticos do Tocantins) oficiou o governo do Estado e a direção do Hospital Regional de Paraíso contra a jornada ilegal que está sendo imposta aos farmacêuticos que trabalham no estabelecimento. Escala de plantões autorizada pela diretora do hospital, Waldineide Pereira de França, determinou que os farmacêuticos fizessem dez plantões, mais um plantão extra por conta de ter aberto uma nova farmácia satélite que não conta com as condições mínimas de espaço para trabalho adequado e repouso do plantonista.

Esse plantão extra para farmacêuticos não está regulamentado pelo Estado e corre o risco de não ser remunerado. Ele também contraria a lei que dispõe sobre a carga horária dos servidores. “Amanhã ocorrerá às 16 horas uma reunião da mesa SUS (Sistema único de Saúde), onde também apresentaremos essa demanda. É um absurdo que a diretora passe por cima do que foi acordado com o secretário Renato Jayme e mande funcionários trabalharem oito horas a mais por mês sem qualquer pagamento extra”, destacou o presidente do Sindifato, Pedro Henrique Goulart Machado Rocha.

Sem repouso no local, farmacêuticos dormem no chão

Para o Sindifato, o governo deve resolver imediatamente a situação, sob pena de gerar demandas judiciais e outros transtornos.

poradmin

Em campanha salarial, farmacêuticos buscam reajuste de 6%

 

Presidente do Sindifato, Pedro Henrique Goulart Machado Rocha

O Sindifato (Sindicato dos Farmacêuticos do Tocantins) está em plena campanha salarial, buscando reajuste para a categoria. Na semana passada, o sindicato promoveu assembleia geral extraordinária dopara deliberar sobre as propostas que serão encaminhadas para o sindicato patronal do comércio varejista de medicamentos. No encontro, a categoria decidir reivindicar um reajuste de 6% no piso da categoria. Atualmente, o salário dos farmacêuticos que trabalham em farmácias e distribuidoras é de R$ 3.890,00.

A solicitação do reajuste faz parte das conversas para a CCT (Convenção Coletiva do Trabalho) de 2018/2019. Além do reajuste, os farmacêuticos buscam melhorias nas condições de trabalho para categoria.

O Sindifato já encaminhou a pauta de reivindicações para o sindicato patronal contendo as propostas que serão debatidos na primeira reunião de negociação entre os dois sindicatos, ainda sem data definida.

“Optamos por iniciar a campanha salarial três ou quatro meses antes do vencimento da data base, para que tivéssemos tempo hábil para tratar todas as negociações com o sindicato patronal elevar as informações para a nossa base”, informou o presidente do sindicato, Pedro Henrique Goulart Machado Rocha.

Ao todo, o assunto interessa a 450 farmacêuticos de Palmas e 1.200 em todo o Estado. Nos últimos dois anos, o número de farmácias de Palmas tem crescido exponencialmente e, assim, a Capital já conta com mais de 37% de todos os profissionais do varejo da categoria. “O mercado se expandiu muito para os colegas na Capital, mas isso faz com que nós, do sindicato, tenhamos que ficar vigilantes e atentos, pois as leis precisam ser cumpridas e os farmacêuticos respeitados”, afirmou o secretário-geral do Sindifato, Renato Soares Pires Melo, ao destacar eu a função do sindicato é sempre estar ao lado dos colegas.

poradmin

Sindifato promove assembleia geral para debater reposição dos farmacêuticos do varejo e atacado

O Sindifato (Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Tocantins) promove, no próximo dia 14 de maio, às 9 horas, assembleia geral extraordinária com os farmacêuticos que trabalham no comércio varejista e atacadista, ou seja, nas farmácias do Estado e distribuidoras. A pauta principal é a aprovação da proposta de CCT 2018/2019 (Convenção Coletiva do Trabalho 2018/2019) a ser remetida ao sindicato patronal.

Os farmacêuticos buscam uma reposição salarial conforme índice nacional de preços ao consumidor. A reunião ocorre na sede do sindicato, localizado na 404 Sul, Avenida LO-11, lote 4. “Esperamos a participação do máximo de colegas possíveis. Estaremos discutindo a reposição do salário de todos”, destacou o presidente do Sindifato, Pedro Henrique Goulart Machado Rocha.

O secretário-geral do Sindifato, Renato Soares Pires Melo, destacou que o assunto interessa a muitas famílias, envolvendo 450 farmacêuticos da Capital e 1200 em todo o Estado. “Tivemos no Tocantins, e especialmente em Palmas, um grande aumento no número de farmácias. Isso, claro, gerou mais emprego para a nossa categoria, mas temos que estar bem atentos para que os estabelecimentos cumpram com as suas obrigações, pagando aquilo que é previsto em norma coletiva”, frisou.

Atualmente, o piso do farmacêutico que trabalha oito horas diárias nas farmácias e distribuidoras do Estado é de R$ 3.890,00. A ideia do sindicato é propor um aumento real de 6%, mais o INPC acumulado nos últimos 12 meses.

Confira, abaixo, o edital de convocação da assembleia geral extraordinária na íntegra:

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA
O Presidente do Sindicato, em uso das suas atribuições, convoca todos os membros da categoria dos Farmacêuticos que laboram no segmento de comércio varejista e atacadista de medicamentos, no Estado do Tocantins, para participarem da ASSEMBLEIA GERAL

EXTRAORDINÁRIA a ser realizada em PALMAS/TO, no dia 14 de maio de 2018, às 09:00 horas. Na sede do Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Tocantins, localizado na Quadra 404 Sul, Avenida LO 11, Lote 4, Sala 8 em Palmas/TO, em primeira convocação, para tratarem da seguinte ordem do dia: a) Leitura do edital convocatório; b) Elaboração, discussão e aprovação da Pauta de Reivindicações a ser remetida à representação patronal, visando efetivação da CCT-2018/2019; c) Votação para a aprovação da aludida pauta; d) Autorização para que a diretoria do Sindifato possa firmar acordo administrativo, com a assinatura da CCT, com ou sem mediador e na sua inviabilidade, conceder poderes para que seja ajuizado o competente DC; e) Compor Comissão de Negociação; f) Deliberar sobre as contribuições e mensalidade; g) Assuntos gerais da categoria. Não havendo número legal de presentes na primeira convocação, a segunda se realizará 30 minutos após, já com qualquer número de presentes. As deliberações tomadas nesta Assembleia prevalecerão para todos os fins de direito, e a ela se vinculam os trabalhadores sindicalizados ou não à entidade convocante.
Palmas – TO, 07 de Maio de 2018.
Pedro Henrique Goulart Machado Rocha
Presidente