Gestores se atrapalham com cumprimento da lei.

poradmin

Gestores se atrapalham com cumprimento da lei.

Os servidores da Saúde do Estado do Tocantins, incluindo os Farmacêuticos, vêm sofrendo com a ingerência e a falta de habilidade dos gestores da rede hospitalar, que, não conseguem fazer um cálculo matemático muito simples.

A jornada de trabalho dos profissionais da área hospitalar é limitada em 30 horas semanais, de acordo com a Lei nº 2670/2012 – Plano de cargos carreiras e vencimentos dos servidores da Saúde do Estado do Tocantins.

Em uma semana de 30 horas cabem em apenas dois plantões de 12 horas. Se acontecerem três plantões, o total será de horas será de 36 ou seja 6 horas extras sempre que essa jornada for efetuada.

Para os profissionais que realizam 40 horas semanais, o caso é ainda mais gritante, pois os mesmos vêm sendo obrigados a trabalhar em escalas desumanas, realizando 15 plantões de 12 horas por mês. O que na prática, acabam trabalhando dia sim, dia não.

Qualquer pessoa mediana entende que, uma semana de quarenta horas, só cabem três plantões de 12 horas, e ao realizar 4 plantões, estarão totalizando 48 horas, o que dá direito à 8 horas extras, com adicional, de pelo menos 50%.

Trata-se da matemática mais básica que deve ser aplicada pelos gestores hospitalares, porém os mesmos parecem desconhecer a matemática, pois querem impor a sua vontade aos servidores públicos.

O sindicato dos farmacêuticos vem orientando os seus associados à guardar todas as escalas, com a majoração dos plantões, para que estas horas extras sejam cobradas em breve.

Fonte: #sindifato

Sobre o Autor

admin administrator

Deixe uma resposta